onibus lotado

Pergunta

Quando o onibus está lotadíssimo e a mulher fica totalmente indiferente a uma encoxada top, daquelas que encaixa super gostoso e dura vários minutos, mas ela fica o tempo todo imóvel e continua olhando a paisagem ou mexendo no celular como se absolutamente nada tivesse acontecendo é por que ela está gostando ou aquilo está sendo uma tortura pra ela ? Morro de curiosidade pq acontece comigo pelo menos uma vez toda semana. Obrigado,

em progresso 0
Tony 2 semanas 6 Respostas 287 visualizações Iniciado -1

Respostas ( 6 )

  1. Isso é o que acontece com o indivíduo que se afunda em pornografia. A vida do cara é achar que mulheres são atriz pornô e que gostam de sexo toda hora.
    Quem gosta de sexo toda hora e com qualquer pessoa, é ninfomaníaca, e mesmo assim, é por traumas sexuais, não exatamente por prazer, é um problema.

  2. Esta resposta foi editada.

    Tu diz que faz isso, mas está ai rindo por quê não achou BO ainda, mas quando der treta, tu vai desejar nunca ter nascido, ta achando que vive no universo do pornhub com essa porra de comportamento escroto.

  3. encoxada top??? vai se tratar cara

  4. Esta resposta foi editada.

    Ainda não entendi como algumas pessoas acham que encoxar é algo normal.. que pode ser feito quando bem entenderem. Já agora, se você não sabe, fique a saber que dependentes do contato físico indesejado para se sentirem excitadas, são pessoas com o transtorno chamado “frotteurismo” podem ficar horas em busca de vítimas.

    O Disque 100 é um serviço nacional que recebe denúncias de violência sexual. Em nota, a BH Trans orienta que, em caso de qualquer ato de desrespeito ou delito nos coletivos, os passageiros devem fazer a denúncia ao motorista, “que pode parar o ônibus e solicitar intervenção policial”

    Especialista em transtornos da sexualidade, Marina Zaneti diz que o frotteurista age de forma parecida a um dependente químico, chegando a permanecer muitas horas do dia em busca de vítimas. “O comportamento envolve quatro fases: a fissura (vontade intensa), a ritualização (rotina que leva ao aumento da excitação), a gratificação sexual (não consegue interromper a busca pela vítima enquanto não se satisfaz) e o desespero (a culpa e o sofrimento)”, conta.

    De acordo com a psiquiatra, os prejuízos para as vítimas podem gerar traumas sexuais, mas os “encoxadores” dificilmente percebem os danos de tais atos e só buscam tratamento com psicoterapia e medicamentos quando existem consequências legais.

    Para saber se existe o problema, Marina destaca a necessidade de uma avaliação médica ou psicológica, pois pode existir associação a outras doenças, como transtorno bipolar ou esquizofrenia, por exemplo, e diz que o frotteurismo também merece atenção jurídica. “Não aceitem qualquer suspeita de vitimização nos transportes públicos. Frotteurismo é crime. Denunciem”, diz.

    Marlene, que foi vítima, também acredita que a única forma de coibir outros episódios é denunciar. “Não fiz o boletim de ocorrência porque o abusador correu, mas não dá pra ficar calada, tem que reagir”, sugere.

    Crime

    Por não ser consensual e ferir o princípio da dignidade das pessoas, o abuso praticado pelo frotteurista pode configurar vários crimes previstos pelo Código Penal, de acordo com o professor de direito penal da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e advogado criminalista, Leonardo Vilela. “São varias hipóteses, uma delas é o constrangimento ilegal, que pode ter pena de seis meses a um ano. Também pode significar ato obsceno, com pena de três meses a um ano. E, ao contrário do que muita gente pensa, a ‘encoxada’ pode ser interpretada como estupro (pena de seis a dez anos). O problema é que hoje vivemos em uma sociedade machista em que a vítima acaba sempre sendo colocada como culpada”, avalia.

    Mais sobre isso em otempo.com.br

    • Esta resposta foi editada.

      Boa tarde, descobri este site recentemente e não quero causar polêmica com a minha pergunta, foi pura curiosidade. Mas posso afirmar que em toda semana pego onibus lotado algumas vzs e encoxada, mão boba, ombro no meio do corredor, não é exclusividade de homem tarado não. Muitaaaa mulher gosta dessa parada. E é lógico que como em tudo na vida, existem homens sem noção e mulheres sem noção….., mas afirmo que sou um homem normal e que as mulheres que claramente também gostam, são mulheres normais, tem novinha, tem madura, tem solteira, tem casada….. e muitas gostam sim ! Para quem acha que isso é safadeza, confirmo que estão errados em achar que é exclusividade de homem. Abraços,

      • Para mim, só me parece uma situação aceitável (corrigam-me se tiver errado) se os dois trocarem alguns olhares e ficar bem claro que há uma química e então, pode haver algum tipo de aproximação. Caso contrário, essa coisa de ir encostando para ver se o outro lado reage positivamente, parece-me abuso e entra numa área perigosa.

EU PRETENDO DEIXAR AQUI A MINHA RESPOSTA